sábado, 3 de outubro de 2015

A melhor forma de limpar um pincel

Hem?


Ficou surpreso com a imagem?

Pois é, eu limpava os meus pincéis (trabalho normalmente com óleo sobre tela) primeiramente com terebentina e papel toalha, até que os pincéis ficassem aparentemente limpos, e depois lavava com sabão de coco. O que você descobre é que por mais que aparentem estar limpos, ainda há muito resíduo de tinta nos pinceis.
Esta lavagem era composta de duas etapas: a primeira molhando o pincel na água e esfregando no sabão, e depois esfregando na palma da mão.
Ótima forma de se contaminar
Tudo bem. Foi sempre assim que eu fiz, e achava, apesar de ver que estava forçando substâncias como cádmio, chumbo, cobalto e outras tão perigosas quanto para dentro do organismo, esta era a única forma de deixar os meus pinceis verdadeiramente limpos.
Foi então que descobri no livro Daily Painting de Carol Marine uma forma simples e revolucionária, que me livrou para sempre de me contaminar na limpeza de meus pinceis.
E por incrível que pareça, quem resolveu isto foi uma simples bola de tênis.
Abaixo, eu lhe mostro como isto é muito simples.
Vamos então começar pela lista de material que você vai precisar:
  1. Uma bola de tênis (não precisa ser nova)
  2. Uma fita crepe, destas que se usa para pintura
  3. Uma faca do tipo Olfa
  4. Uma caneta esferográfica.
Comece por envolver a bola com a fita adesiva, dividindo-a em exatos dois hemisférios:
Envolvendo a bola com a fita crepe
Já com a fita crepe colada separando os dois hemisférios
Já com a fita colada, você vai partir para a segunda etapa, que é traçar uma linha exatamente no meio da fita crepe, o que lhe vai dar a linha de corte. A fita crepe serve de guia, de forma que você vai conseguir isto com facilidade.
Traçando a linha de corte
Veja a bola com a linha de corte completamente traçada:

A seguir, vamos para a fase que pode ser perigosa para as suas mãos, já que você vai usar a faquinha para realizar a operação acompanhando a linha de corte. A bola resiste um pouco, mas aos poucos e procurando cortar numa posição mais lateral, fica mais fácil. Deixe os seus dedos longe!
Secionando na linha de corte
Trabalhe com calma, procurando seguir a linha que você anteriormente traçou. Ao final, terá um resultado como este:
A bola de tênis, já separada em duas partes
Agora, você já pode se aproveitar deste seu novo artefato!
Comece por limpar os seus pincéis em terebentina, e depois vá para a bica do tanque molhe o pincel e esfregue no sabão de coco.

A seguir esfregue com movimentos circulares o pincel no interior da bola de tênis:
Usando o interior da bola para esfregar o pincel.
Lave o pincel e novamente esfregue no sabão. 
Repita a operação até o momento em que você observar que a espuma está límpida e abundante. Aí, você pode lavar o seu pincel somente com água, e aguardar que ele seque para utilizá-lo novamente (jamais use um pincel molhado! Isto para efeitos de óleo, já que o pincel pode ficar completamente esgarçado).
Utilizando-se da bolinha de tênis você vai ter a vantagem, a qual a gente já se referiu de não absorver pela pele agentes tóxicos, e em função do formato do interior da bola de tênis, os pelos tenderão a ser empurrados para o meio, o que tenderá a preservar mais os seus pinceis.
Nunca deixe de me procurar com qualquer dúvida, e até a próxima!




2 comentários:

  1. Achei a ideia ergonômica, pelo formato da bola , eu tenho o costume de limpar meus pincéis esfregando o dedo mediano sobre as cerdas e sobre um tecido macio , na mesa , o que as vezes cansa e dói. Mas tem o interior da bola que é macio tbm , conserva as cerda muito boa a dica.

    ResponderExcluir
  2. Oi Oswaldo,

    Eu costumo limpar usando o limpador de pincéis da condor para não esfregar na minha mão. Aparentemente acho que funciona bem, voce já usou? Se sim o que achou dele? Obrigado!

    ResponderExcluir